terça-feira, 25 de março de 2008

Letras fora do armário!

Somos um grupo de estudantes lésbicas, gays, bissexuais, trans, queer e simpatizantes da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa conscientes que existe discriminação no espaço escolar e que a queremos combater tal como queremos combater a homofobia, bifobia e transfobia que se sente lá fora.

Para nós a Faculdade, além de um local onde adquirimos o conhecimento que vem nos livros que nos pedem para ler, deve ser também um espaço onde questionamos o que está à nossa volta e tentamos fazer algo para o mudar. Podemos e devemos questionar o que acontece dentro da Faculdade de Letras mas não só, devemos também ter liberdade de falar, questionar e agir sobre assuntos que apesar de não estarem directamente ligados à Faculdade dizem respeito a todos aqueles que frequentam esse espaço público.

Com este grupo queremos criar visibilidade e discussão. Queremos uma escola e uma sociedade livre de preconceitos não só em relação à orientação sexual e identidade de género mas também livre de sexismo, racismo e xenofobia! Somos um grupo LGBTQ mas não é só isso que nos move. Porque a população LGBTQ é vítima de outras opressões estamos dispostos a trabalhar noutras áreas com quem estiver disposto a juntar-se a nós!

Porque uma faculdade em que os alunos LGBTQ vivem calados na esperança que outros não descubram o seu "segredo" e onde todos fingem que eles não existem não é uma faculdade livre. Também não o é quando em todo o lado se ouvem comentários ofensivos, quando “fufa” ou “paneleiro” são consideradas as piores coisas que se podem chamar a alguém, quando um aluno não está à vontade para ter uma demonstração pública de afecto e quando há quem tenha de esconder a sua identidade como se isso fosse um motivo de vergonha.

Queremos que a FLUL volte a ser um espaço aberto à diversidade, onde há debate, onde há agitação fora das salas de aula e os alunos sentem que fazer parte da FLUL é muito mais que ir às aulas e ir a festas! Queremos que a FLUL volte a ganhar vida!

Queremos barulho, debate, cinema, encontros e mais coisas que quem se juntar a nós for propondo!

16 comentários:

LíathLeFay disse...

excelente ideia e missão!apoio firmemente!

beijo para morni*

serei leitora assídua!

Fernando Mesquita disse...

Car@s amig@s,

foi com prazer que tive conhecimento do vosso grupo de estudantes LGBTQ da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Venho desta forma apresentar a minha disponibilidade para colaborar convosco no que considerarem necessário.

Sou Psicólogo Clínico, com Mestrado em Sexologia Clínica. Actualmente, pratico clínica privada em Lisboa (Policlínica do Areeiro), sou também psicólogo da OpusGay, bem como, terapeuta de sessões de grupo LGBTQ em Carcavelos.

Fernando Eduardo Mesquita
http://sexologia.no.sapo.pt
Tel: 969091221

gay.alentejo disse...

Desde O GayAlentejo sauda-se mais este grupo!

Estamos por aqui para o que acharem por bem!

condessa.x disse...

sou ex-estudante de Letras e acho deveras importante que a gayada de letras se organize. Boa sorte!

sapatilha rota disse...

liathlefay, obrigada pelo apoio!

fernando mesquita, a resposta à sua oferta seguirá por e-mail brevemente.

gay.alentejo, desconheciamos o vosso blogue. Vamos andar de olho atento às vossas divulgações ;)

condessa.x, esperemos que a gayada de letras adira, mesmo que aos poucos. Divulga o grupo por outros alunos e ex-alunos da FLUL.

Anónimo disse...

é com muito orgulho, que digo aqui e agora, que voces sao de Louvar!
nao estou a estudar em nenhuma fac de momento, mas irei pro ano.

e penso que tal como voces, eu posso ser vitima de multiplas descriminaçoes pelo simples facto da minha orientaçao sexual ser difrente da norma.

APOIADOS, podem contar comigo para o que for preciso! deixo um contacto: ana89_rita@hotmail.com

Diaba Vermelha disse...

Olá,
Quero felecitar-vos, por este espaço. Sou estudante no Politécnico de Santarém, se bem que no regime nocturno, e bem sinto na pele a falta de dinâmismo e abertura a diversidade, há assuntos que não se falam.
Parabéns

marco disse...

Espero que este movimento ajude a FLUL a sair do grande armário onde está enfiada!! :)

Maria João disse...

Viva!Foi com surpresa que descobri o vosso grupo. Sou actualmente professora a tirar uma segunda licenciatura na FLUL e vivo diariamente o peso do silêncio. Ainda bem que existem. Podem contar comigo.

mariejoalmeida@gmail.com

Hippolyte disse...

Excelente ideia! Eu estudo no ISCTE mas contem comigo para o que for preciso: inesgodinho_@hotmail.com

Era bom que pudesse haver um grupo universitário LGBTQ. Soube que houve uma tentativa na FCSH mas não sei no que resultou. Eram das Panteras Rosa.
bjs

Inês

Anónimo disse...

a iniciativa é, de todo, corajosa e inovadora, não tenho dúvida. contudo, tem de acarretar consigo um grande determinismo, uma afirmação plena e justa ouvindo todas as vozes mesmo as menos favoráveis.

não é fácil, pois é, mas esse é o sentido da luta!

apesar de nao ser da FLUL não exitarei em participar e dar sugestões.

porque não um grupo que envolva todo o ensino superior? quantas mais vozes, mais força tem a nossa mensagem. mas isto é algo que só com o resultado desta aposta é que se pode ponderar.

boa sorte e não parem!

Sol disse...

meninas, concordando com outros comentários acima, estudo no ISPA e tmb estou disponivel :)

ladodooceano@gmail.com, se for preciso algo *

by arco iris

DR disse...

Assim muito sinceramente, apoio o que estão a fazer e acho optimo porque eu, pessoalmente, estou farta de andar a olhar para todos os lados a ver se alguem me chama nomes que me afectam e chateiam.

Dharma disse...

Fantástica iniciativa!! Apoio a 100% e pena tenho por no meu tempo de escola não ter existido algo semelhante sequer...
Felicidades e boa sorte!

Dharma

Eduardo Moreira disse...

Querid@s colegas só agora soube desta notícia pela agradável reportagem da TimeOut...sou aluno da Faculdade e acho que um grupo como este no seu contexto era o que faltava não só a Letras mas a todas as faculdades.É óbvio que a nossa faculdade tem uma missão mais do que importante relativamente ao tema, porque sim! "Porque entendemos a força das palavras"! E porque quando se travam batalhas todos os guerreiros são necessários...bluekelloggs@msn.com ah! Orgulho-me de ser vosso colega!

jornadas disse...

Estudei na Sorbonne.
Penso que o vosso movimento é similar ao que havia na época (não longínqua) na "ala das Letras".

Parabéns.